Lançamento da Expedition 58-59 rumo a Estação Espacial Internacional (ISS)

Nesta segunda-feira, 3 de dezembro de 2018, às 09:31 no horário de Brasília, os tripulantes da Expedição 58-59, Anne McClain, da NASA, Oleg Kononenko, da Roscosmos e David Saint-Jacques da Agência Espacial Canadense foram lançados por um foguete Soyuz FG com a tripulação a bordo da nave Soyuz MS-11.
Os Três viajantes espaciais, incluindo dois astronautas novatos (Anne e David) foram para a Estação Espacial Internacional (ISS), para uma missão de seis meses e meio.
A astronauta norte-americana, Anee McClain e o astronauta canadense David Saint-Jacques estão agora vendo a Terra redonda pela primeira vez. Para o experiente comandante da Soyuz MS-11, o cosmonauta russo Oleg Kononenko é a quarta vez que ele vai ao espaço.
Após o lançamento, o trio irá fazer uma viagem de seis horas, dando quatro órbitas ao redor da Terra, e a nave Soyuz irá acoplar com o módulo russo Poisk.
A NASA TV e a Roscosmos também irão transmitir a acoplagem que deve acontecer no início da tarde no horário brasileiro.
Menos de duas horas após o acoplamento, as escotilhas entre a Soyuz e a Estação Espacial Internacional (ISS) serão abertas, e a tripulação atual, o comandante da Expedição 57 Alexander Gerst da ESA (Agência Espacial Européia), a engenheira de voo Serena Auñón-Chancellor da NASA e o engenheiro de voo Sergey Prokopyev, da Roscosmos que estão no espaço desde junho irão ao encontro para cumprimentá-los.
Kononenko, McClain e Saint-Jacques se tornarão oficialmente tripulantes da Expedition 58 quando Alexander Gerst, Serena Aunon-Chanceler e Sergey Prokopyev deixarem a Estação Espacial Internacional no dia 20 de dezembro de 2018, retornando para a Terra.
Até o dia 20 de dezembro, duas mulheres estarão no espaço. O recorde é de 4 mulheres no espaço.
Em 11 de outubro de 2018, o cosmonauta russo Aleksey Ovchinin e o astronauta norte-americano Nick Hague foram forçados a abortar a missão quando um dos boosters destacáveis ​​colidiu com a parte central do foguete Soyuz FG no processo de separação.
Um sistema de aborto automático liberou a cápsula Soyuz MS-10, salvando a vida da dupla.

Problema com o Foguete Soyuz-FG impede um perfeito lançamento da nave Soyuz MS-10 e tem que retornar para a Terra.

O foguete Soyuz-FG lançou ao espaço a nave Soyuz MS-10 com os futuros tripulantes da Expedition 57-58 da ISS, o astronauta da NASA, Nick Hague e o cosmonauta Roscosmos, Alexey Ovchinin.O lançamento aconteceu no cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, em 11 de outubro de 2018, às 08:40 UTC ( 05:40 na hora do Brasil). O início não teve problemas: o foguete foi embora da plataforma, o desempenho dos sistemas e das unidades estavam dentro de limites aceitáveis, como o locutor da transmissão geral em Baikonur prontamente informou. A situação mudou drasticamente após o 117º segundo do voo.Devido ao problema no foguete lançador Soyuz-FG que não liberou corretamente os 4 boosters laterais, a quase 2 minutos depois do lançamento, a dupla não irá mais voltar ao espaço neste ano de 2018.A causa do incidente, segundo o “Kommersant”, foi a não separação de um dos quatro blocos laterais do primeiro estágio da Soyuz-FG.Na transmissão ao vivo da NASA TV, a dupla espacial parecia estar sendo sacudida antes que o vídeo interno da espaçonave Soyuz MS-10 fosse interrompido.Neste momento, ocorreu uma determinada situação de emergência, que fez com que o sistema de resgate de emergência operasse no 123º segundo de voo. A capsula separou-se do foguete e iniciou a descida balística de acordo com o programa de emergência.O astronauta e o cosmonauta não chegaram ao espaço, chegando a 82 km de altitude.A nave Soyuz MS-10, com 6,8 toneladas, entrou em uma Trajetória Balística, impedindo o alcance da Estação Espacial Internacional (ISS) que está a 400 km acima da Terra. Pela primeira vez na história da Estação Espacial Internacional (ISS), uma tripulação não conseguiu chegar em órbita . O Launch Escape System – LES, seguramente lançou a nave Soyuz MS-10 com a tripulação de Nick Hague e Aleksey Ovchini para bem longe do problema, e o segundo estágio do foguete Soyuz-FG que foi perdido, caiu na Terra.A comunicação com a tripulação foi estabelecida quase imediatamente. 41 minutos após o acidente,O retorno balístico resultou em cargas de alta gravidade para a tripulação durante sua reentrada na atmosfera da Terra. A força g chegou a ser de 6 ou 7 vezes maior que a gravidade da Terra, mas, os astronautas e cosmonautas são treinados para ficarem conscientes e sobreviverem a cargas maiores que esta.Equipes de busca e recuperação chegaram até Aleksey Ovchinin e Nick Hague cerca de 90 minutos após o lançamento. Eles pousaram a cerca de 20 quilômetros a leste de Zhezkazgan, no Cazaquistão. Eles estão supostamente em bom estado e fora da cápsula.A nave Soyuz, embora normalmente muito confiável, teve dois abortos no passado.O primeiro aborto foi em 1975, quando a Soyuz 18a não conseguiu se separar do terceiro estágio do booster. Este foi o primeiro aborto em voo, mas não envolveu o uso do Sistema de Escape de Lançamento (LES), que é necessário apenas se um aborto de lançamento acontecer nos primeiros minutos da subida.A Soyuz T-10a foi o segundo aborto e aconteceu em 1983. E aconteceu durante a contagem regressiva antes do lançamento, quando um foguete fez com que o propulsor explodisse. Dois segundos antes da explosão, no entanto, o sistema de escape de lançamento foi ativado para impulsionar a tripulação para a segurança. Até o vôo Soyuz MS-10, essa foi a única vez na história que um Sistema de Escape de Lançamento foi utilizado durante um voo tripulado.Neste lançamento de 23 de setembro de 1983, por pouco os cosmonautas não morreram !https://www.facebook.com/OQueVerNoCeuAstronomia/videos/268610963981624/No lançamento de hoje, 11 de outubro de 2018, o LES fez com que Alexey Ovchinin e Nick Hauge pousassem Em Segurança completando menos de 1 órbita ao redor da Terra. Equipes de busca e recuperação chegaram a Ovchinin e Nick Hague cerca de 90 minutos após o lançamento. Eles desembarcaram a cerca de 20 quilômetros a leste de Zhezkazgan, no Cazaquistão. Eles estão em bom estado apesar da alta força g (São treinados para resistirem a isto) e já estão fora da cápsula.Neste monento, estão 3 pessoas (2 homens 1 mulher) no espaço, a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) que aguardavam a dupla chegar 6 horas depois do lançamento, o que não aconteceu.Agora eles e ela terão que esperar alguns meses para rever os seus amigos ou talvez não vejam mais do espaço.Os três a bordo doa ISS são o astronauta da Agência Espacial Européia (ESA) Alexander Gerst, a astronauta da NASA, Serena Aunon-Chanceler e o cosmonauta russo da Roscosomos, Sergey Prokopyev.Uma comissão russa foi formada para examinar o problema do incidente espacial com a Soyuz MS-10.Como resultado, a dupla obviamente não irá para a Estação Espacial Internacional na planejada missão de seis meses. A próxima tripulação programada para lançamento no ISS estava agendada para 20 de dezembro de 2018, com a nave Soyuz MS-11. No entanto, até que o problema com este lançamento seja encontrado e resolvido, não é provável que nenhuma nave Soyuz seja lançada ao espaço.São raríssimos problemas com as naves Soyuz.Créditos: NASA / Roscosmos#EstaçãoEspacialInternacional #InternationalSpaceStation #ISS #SoyuzMS10 #Soyuz #NickHague #AlexeyOvchinin #Launch #Baikonur #Astronauta #cosmonauta #Astronaut #Cosmonaut #LES #Aborto #Abort #LES #LaunchEscapeSystem

Posted by Estação Espacial Internacional – International Space Station – ISS on Thursday, October 11, 2018

Foi a primeira vez que o sistema de escape foi usado desde 1983, mas este aborto foi utilizado no lançamento, segundos antes do foguete explodir na plataforma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Click to listen highlighted text!